Como começar um projeto de arquitetura?

08/11 – Dia Mundial do Urbanismo
novembro 8, 2017
Conheça os tipos de encadernação
novembro 23, 2017
Exibir todos

Cada pessoa possui uma maneira de começar o desenvolvimento de um projeto. Quando o arquiteto está no início da carreira ou ainda está na faculdade, há muitas dúvida de como iniciar um projeto. Cada um deverá desenvolver, com o tempo sua própria maneira de expressar as ideias.

Alguns vão se sentir mais confortáveis desenhando as ideias iniciais em formas de croquis, outros preferem maquetes rápidas para visualizar o espaço e outros se sairão melhor utilizando os recursos digitais.
Antes de desenvolver um projeto arquitetônico, o profissional deve realizar o levantamento arquitetônico. Nada mais é do que uma coleta de informações, da mais extrema importância. Primeiro deve-se realizar uma entrevista com o cliente, para entender melhor quais são suas necessidades, além dos gostos e desejos de todos aqueles que irão habitar o novo espaço, seja ele comercial, residencial ou recreativo. Estes dados servirão depois para a elaboração do programa de necessidades. Também será necessário que o arquiteto responsável vá pessoalmente conhecer o local da obra. Esta será a melhor oportunidade de fazer as medições gerais e o registo fotográfico. Esta breve noção espacial é o começo do processo criativo para o projetista. Com todos esses dados em mãos já dá para começar os esboços e croquis. Listamos as principais formas de se iniciar um projeto e suas vantagens:

Croqui
O croqui é o recurso mais rápido e intuitivo na hora de visualizarmos nossas primeiras ideias para um projeto.
Uma folha de papel e algum objeto para riscá-la, para expor de maneira gráfica aquilo que estamos pensando.
Os croquis são excelentes meios para nos ajudar a melhor entender de maneira visual aquilo que estamos imaginando.

Primeiras plantas baixas

Conseguir visualizar espacialmente suas ideias e ainda as traduzir em uma planta baixa é algo bastante difícil. Esta etapa é mesmo importante, base para o desenvolvimento do projeto de arquitetura. Algumas propostas mais complexas, como de urbanismo e paisagismo, só poderão ser melhor compreendidas, mesmo na etapa inicial, se desenhadas em duas dimensões. Estes primeiros desenhos servirão, justamente, para visualizar as coisas de forma mais clara; testando, em dimensões mais precisas, todo o potencial construtivo do terreno, todas as possibilidades para distribuição de cômodos e de posicionamento de elementos. Às vezes, é preciso fazer, inclusive, uma planta de corte – esquemática, claro – para entender terrenos acidentados ou planos inclinados, por exemplo.
3D
Quando a ideia é mais complexa, precisamos da ajuda de um recurso em 3D – para compreendermos o que estamos fazendo, como para que outras pessoas também o façam.
Teríamos muitas dificuldades em entender nossas intenções espaciais e em comunicá-las à outras pessoas como um croqui. Por isso, o auxilio de maquetes e ferramentas 3D, como SketchUP, é tão necessária.

Como em qualquer profissão, o amadurecimento vai ser diário. Uma dica bem importante é deixar o pensamento fluir, controlar o tempo, compreender todas as ideias para iniciar o projeto, como croquis, plantas e modelos 3D, ajudará o profissional a ter mais agilidade no seu trabalho e evitar possíveis erros.

Fonte Blog da Arquitetura

FTG Copiadora realiza plotagem em diversos tamanhos, impressões e encadernação capa dura no Tatuapé e em São PauloEntre em contato pelo tel (11) 2091-7788 ou aqui no nosso site para solicitar seu orçamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *